O QUE CREMOS

Na Congregação Judaico-Messiânica Sar-El a identidade judaica é preservada, segundo as Escrituras, dando ao judeu crente em Yeshua o direito de preservar sua identidade judaica, sendo observante dos princípios da Torá (Pentateuco), dos Nevi’im (os profetas) e dos Ketuvim (os Escritos), que constituem o Tanach (Antigo Testamento), e da Brit Hadashá (Novo Testamento).

 

 

1. Somos monoteístas e cremos que o D’us de Abraão, Isaque e Jacó é Um – o Criador de todas coisas (Gn 1:1).

 

2. Cremos na divindade do Senhor Yeshua, o Messias de Israel estabelecido como Cabeça da Igreja - cujo corpo são os membros desta Igreja.

 

3. Cremos que D’us dá do Seu Espírito a todo aquele que crê, fazendo habitação no coração do homem, para capacitá-lo para a obra de D'us com de dons e ministérios (Ex 31:3; At 2; 1 Co 12), segundo o chamado de cada um.

 

4. Cremos na veracidade, na inspiração divina, na validade atual e na autoridade exclusiva e inquestionável das Escrituras Sagradas, de Gênesis a Apocalipse.

 

5. Cremos que a redenção e salvação eterna somente podem ser alcançadas mediante o sacrifício vicário de Yeshua (At 4:12), independente de o indivíduo ser judeu ou não judeu. No Messias temos o novo nascimento citado em João 3.

 

6. Cremos que todo aquele que professa sua fé no Messias deve ser batizado (Mc 16:16) em nome de Yeshua (Atos 8:16 e 10:48), através da imersão, integrando-se ao Corpo do Mashiach (1 Co 12:12-27) ‒ a Igreja ‒ e, dessa forma, interagindo com os demais membros a favor
desse Corpo, procurando a unidade e a comunhão entre os seguidores de Yeshua, quer judeus ou não.

 

7. Conforme as Escrituras, judeus e não judeus constituem a família de D’us no Messias (Ef 2:19); os não judeus crentes no Messias são enxertados na “oliveira”, que é Israel, e os judeus crentes em Yeshua são reenxertados em sua própria raiz (Rm 11). Assim, judeus e não judeus participam da “seiva” (bênçãos e promessas) da mesma “oliveira”.

 

8. Cremos que Israel, enquanto nação, possui um chamado ou vocação irrevogável (Ex 19:6; Jr 31:31,35-36; Rm 11:29). Portanto, somos contrários à teologia da substituição.

 

9. Cremos que o judeu crente em Yeshua deve preservar sua identidade judaica.

 

10. Cremos que o não judeu crente em Yeshua está livre de qualquer imposição de tradições ou leis bíblicas específicas ao povo judeu. No entanto, tem liberdade de segui-las, se desejar.

 

11. A Congregação provê uma base de liderança (Rabino ou Rosh) que deve dar visão, conhecimento, ensino e aconselhamento aos membros
da comunidade, com respeito à fé bíblica e ao estilo de vida judaico. Além do líder, tem um presbitério constituído (presbíteros e diáconos) que trabalham para a edificação dos membros, através de ensino, orações, reuniões, visitas, suporte logístico e material – tarefa dos diáconos, de modo que os presbíteros possam focar na Palavra de D’us e na oração (Ef 4:11; 1 Tm 3:2-13; 5:17-18; Tt 1:9; Hb 13:17; Atos 6:1-6).

 

12. A liturgia da Congregação inclui tradições antigas (2 Te 2:15). Algumas delas remontam aos tempos de Esdras e Neemias e foram praticadas por Yeshua, pelos apóstolos e pelos discípulos dos apóstolos ‒ por exemplo, a leitura e explicação pública da Torá e dos profetas (Lc 4:16-17; At 13:15).

 

13. Usamos formas judaicas e judaico-messiânicas de música e dança nos serviços e celebrações.

 

14. Nos serviços religiosos incorporamos elementos selecionados do Sidur (o livro de orações judaico) e um livro de cânticos (Ef 5:19).


15. Os símbolos judaicos (Rolo da Torá, Menorá, Mezuzá, cálices) que usamos dentro de nossa sinagoga servem como lembrança das Escrituras Sagradas e identidade judaica. No entanto, nenhum deles representa objeto de veneração.

 

16. A participação das mulheres é ampla, como auxiliadoras, onde houver necessidade, de acordo com as orientações contidas em I Tm 2:1,9-11.

 

17. Seguimos um ciclo anual de eventos referenciados nas Escrituras como “As Festas Solenes do Senhor” (Levítico 23), sendo o Shabat a primeira delas, entre outras festas tradicionais judaicas, como Purim (Es 9:20-22), Chanuká (Jo 10:22), etc.

 

18. Quanto à alimentação, estimulamos o comer as comidas biblicamente puras (Lv 11).

 

19. Em relação à vestimenta, tanto masculina como feminina, a modéstia, decoro e bom senso devem ser respeitados, de acordo com o padrão bíblico. Decotes e saias curtas devem ser evitados pelas mulheres, mesmo as mais jovens. Homens podem usar kipá, talit (manto de oração), tsitsit (franjas) e tefilim (filactérios). Mulheres casadas podem cobrir a cabeça em sinal de submissão ao esposo.

 

20. É prática em nossa Congregação apoiar financeiramente Israel, através de doações ao Ministério Netivyah de Jerusalém (Sl 122:6).